SITE EM ATUALIZAÇÃO... Lúcio Alcântara
Segunda, 15 Outubro 2018

Lúcio Alcântara

Deputado Federal, Senador, Governador, escritor

Lúcio Gonçalo de Alcântara nasceu em Fortaleza em 16 de maio de 1943, filho de José Waldemar Alcântara e Silva e Maria Dolores Alcântara e Silva. Foi prefeito de Fortaleza e governador do estado do Ceará.

 

Foi presidente de honra da Casa do Ceará.

 

Em 1966, formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Estado do Ceará. Medicina Tropical, fez curso no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo.

 

Casado com a escritora Beatriz Alcântara, tem dois filhos: a arquiteta Maria Daniela e o ex-deputado federal Leonardo Alcântara.

 

Profissões: Professor e médico.

 

Cargos Públicos:

 

Secretário de Estado da Saúde, aos 27 anos (1971 a 1973) (1975) e (1991); Vice-Presidente do Instituto de Previdência do Congresso Nacional (IPC), Brasília; Secretário de Estado da Saúde (1975); Secretário de Estado da Saúde (1991); Secretário para Assuntos Municipais (1978).

 

Mandatos:

 

Prefeito, 1979 a 1982, exercendo um mandato marcado pela defesa do meio ambiente, criando o Parque Adahil Barreto e garantindo proteção às lagoas urbanas de Fortaleza; Deputado Federal, 1983 a 1987; Deputado Federal, 1987 a 1991; Vice-Governador, 1991 a 1994; Senador, 1995 a 2002.

 

Homenagens Recebidas:

 

Medalha da Ordem Nacional do Mérito Educativo, Ministério da Educação. Brasília, DF (11/2000); Outorga da Comenda Centro Médico Cearense. XVI Outubro Médico e XXXVII Congresso Anual do Centro Médico Cearense. Fortaleza-CE (26/10/2000); Insígnia da Ordem do Mérito Militar, Ministério do Exército. Brasília-DF (8/1998); Admitido no Quadro Suplementar da Ordem de Rio Branco, no Grau de Grande Oficial. Presidência da República. Ministério das Relações Exteriores. Brasília-DF (28/5/1998); Medalha Jurandir Picanço, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE (5/1998); Encomienda Del Número de la Orden de Isabel la Católica, Outorgada por Real Resolução do Rey de Espanha Juan Carlos I, Madrid, Espanha (4/1998); Comenda de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, Gov. da República Portuguesa (1/1998); Comenda da Classe Oficial da Ordem do Mérito Médico – Presidente da República (1997); Grande Medalha da Inconfidência, Governo do Estado de Minas Gerais (1997); Comenda Professor Dr. Ailton Gondim Lóssio, Mérito da Odontologia Cearense, Associação Brasileira de Odontologia, Secção Ceará – Fortaleza-CE (5/1997); Diploma de Honra ao Mérito Farmacêutico, Conselho Federal de Farmácia, Fortaleza-CE (5/1997); Ordem do Mérito Naval, Grande Oficial (1997); Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, Grande Oficial (1997); Medalha de Integração Nacional das Ciências de Saúde, Academia Brasileira de Medicina Militar; Medalha Jubileu de Prata, Universidade Federal do Ceará; Medalha do Pacificador, Ministério do Exército; Amigo da Marinha e Medalha do Mérito Tamandaré, Ministério da Marinha; Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes, Conselho Deliberativo da Associação Nacional dos Veteranos da FEB; Comendador da Ordem do Ipiranga, Governo do Estado de São Paulo; Prefeitura Municipal de Parnaíba (PI); Sócio Honorário do Instituto Brasileiro de Direito Municipal; Medalha do Mérito Legislativo, Câmara Municipal de Fortaleza; Medalha UNIFOR, Ano X, UNIFOR; Diploma de Cidadania, Assembleia Nacional Constituinte.

 

Trabalhos Publicados:

 

Os Mastócitos na Língua do Rato Albino, 1963; Tratamento do Calazar pela Esplenectomia. A Propósito de um Caso,1966-1967; Abscesso Cerebral Pós-Traumático. Relato de um Caso – Revista da Faculdade de Medicina da UFC,1968; Lesiones Cutâneas Contemporâneas del Kals-Azar, com outros autores, 1969; Hepatite por Vírus na Gestação. Considerações sobre Diagnósticos, Letalidade e Evolução da Gestação – Revista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo, 1969; Criptococose Pulmonar e Nervosa. Comentário em torno de dois casos. Revista da Faculdade de Medicina da UFC, 1969; Afinal Será o Antígeno Australiano o Vírus da Hepatite? Revista da Faculdade de Medicina da UFC, 1969; Compromisso Interior, 1973; Sinos da Consciência, 1975; O Descompasso dos Tempos, 1975; Um Médico Vê o Homem, 1976; A Mullher num Novo Tempo, 1980; Saúde e a Velhice, 1980; A Saúde da Comunidade,1981; Política Municipal de Proteção ao Ambiente, 1981; Ação Parlamentar – Primeiro Semestre, 1983; Um Brado na Luta por uma Vida Melhor, 1983; Cem Anos de Liberdade 1884/1984, 1984; A Questão Educacional Brasileira, 1984; Fortaleza Ano 2000, 1985; Inquietações que Fazem Escrever, 1986; Lúcio Alcântara Mostra Trabalho, 1986; Ceará Forte, 1988; O SUS, o INAMPS e a Descentralização da Saúde – Uma Ameaça de Retrocesso. Com outros autores, 1991; Gestão de Saúde Pública: Alguns Desafios Propostos pelo SUS, Série Técnica 2; Desconcentração Administrativa – Ampliando a Autonomia das Unidades de Saúde da Rede Estadual – Atos da Secretaria de Saúde. Série Técnica 4, 1992. Praticando a Descentralização. Série Técnica, 1992; Praticando a Descentralização. Instruções para Programação de Investimentos na Área de Saúde. Fundação Waldemar Alcântara, 1992; O PDT e o Nordeste: Uma Contribuição à Discussão. Fundação Waldemar Alcântara, 1993; Preservação dos Fósseis do Cariri. Revista Itaytera, nº 40, Instituto Cultural do Cariri, p. 97-100. Crato-CE, 1996; O Beato, o Devoto e o Soldado – Lembrando Canudos. Brasília. Senado Federal, Gabinete do Senador; Pequenos Escritos. Seleção de artigos que o senador Lúcio Alcântara escreveu e publicou em vários jornais do País entre 1984 e 1999 – Gabinete do Senador Lúcio Alcântara – Senado Federal, 2001; Brasil, Brasis: Reflexões sobre a Política e a História. In: Síntese: Revista de Ideias, editada pelo Gabinete do Senador Lúcio Alcântara. Ano 5. Brasília, 2000; Crise do Mercosul e Política Internacional. In: Carta Internacional, n.º 94-95, Ano IX, Dez./2000 – Jan./2001. Universidade de São Paulo e Fundação Alexandre Gusmão. São Paulo. Coleção Ideias n.º 1 a 8; O Novo Estado Social, In: Realizações e Desafios de um Programa Social Democrata no Brasil. PSDB. Comissão Executiva Nacional. Instituto Teotônio Vilela. Rio de Janeiro, 29 de novembro de 1999; Lúcio Alcântara: 4 Anos de Mandato em Defesa da Cidadania, 1995 a 1998, Gabinete do Senador Lúcio Alcântara – Senado Federal, 1999.

 

É membro da Academia Cearense de Letras, titular da cadeira 26. Foi presidente da Cruz Vermelha no Ceará (1976) e do Instituto Teotônio Vilela (1996 a 2002). (JBSG com Senado Federal). (JBSG)

 

Atividades

Visitantes

Total: 15018