Quinta, 24 Maio 2018

Lúcio Alcântara

Deputado Federal, Senador, Governador, escritor

Lúcio Gonçalo de Alcântara nasceu em Fortaleza em 16 de maio de 1943, filho de José Waldemar Alcântara e Silva e Maria Dolores Alcântara e Silva. Foi prefeito de Fortaleza e governador do estado do Ceará.

 

Foi presidente de honra da Casa do Ceará.

 

Em 1966, formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Estado do Ceará. Medicina Tropical, fez curso no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo.

 

Casado com a escritora Beatriz Alcântara, tem dois filhos: a arquiteta Maria Daniela e o ex-deputado federal Leonardo Alcântara.

 

Profissões: Professor e médico.

 

Cargos Públicos:

 

Secretário de Estado da Saúde, aos 27 anos (1971 a 1973) (1975) e (1991); Vice-Presidente do Instituto de Previdência do Congresso Nacional (IPC), Brasília; Secretário de Estado da Saúde (1975); Secretário de Estado da Saúde (1991); Secretário para Assuntos Municipais (1978).

 

Mandatos:

 

Prefeito, 1979 a 1982, exercendo um mandato marcado pela defesa do meio ambiente, criando o Parque Adahil Barreto e garantindo proteção às lagoas urbanas de Fortaleza; Deputado Federal, 1983 a 1987; Deputado Federal, 1987 a 1991; Vice-Governador, 1991 a 1994; Senador, 1995 a 2002.

 

Homenagens Recebidas:

 

Medalha da Ordem Nacional do Mérito Educativo, Ministério da Educação. Brasília, DF (11/2000); Outorga da Comenda Centro Médico Cearense. XVI Outubro Médico e XXXVII Congresso Anual do Centro Médico Cearense. Fortaleza-CE (26/10/2000); Insígnia da Ordem do Mérito Militar, Ministério do Exército. Brasília-DF (8/1998); Admitido no Quadro Suplementar da Ordem de Rio Branco, no Grau de Grande Oficial. Presidência da República. Ministério das Relações Exteriores. Brasília-DF (28/5/1998); Medalha Jurandir Picanço, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE (5/1998); Encomienda Del Número de la Orden de Isabel la Católica, Outorgada por Real Resolução do Rey de Espanha Juan Carlos I, Madrid, Espanha (4/1998); Comenda de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, Gov. da República Portuguesa (1/1998); Comenda da Classe Oficial da Ordem do Mérito Médico – Presidente da República (1997); Grande Medalha da Inconfidência, Governo do Estado de Minas Gerais (1997); Comenda Professor Dr. Ailton Gondim Lóssio, Mérito da Odontologia Cearense, Associação Brasileira de Odontologia, Secção Ceará – Fortaleza-CE (5/1997); Diploma de Honra ao Mérito Farmacêutico, Conselho Federal de Farmácia, Fortaleza-CE (5/1997); Ordem do Mérito Naval, Grande Oficial (1997); Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, Grande Oficial (1997); Medalha de Integração Nacional das Ciências de Saúde, Academia Brasileira de Medicina Militar; Medalha Jubileu de Prata, Universidade Federal do Ceará; Medalha do Pacificador, Ministério do Exército; Amigo da Marinha e Medalha do Mérito Tamandaré, Ministério da Marinha; Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes, Conselho Deliberativo da Associação Nacional dos Veteranos da FEB; Comendador da Ordem do Ipiranga, Governo do Estado de São Paulo; Prefeitura Municipal de Parnaíba (PI); Sócio Honorário do Instituto Brasileiro de Direito Municipal; Medalha do Mérito Legislativo, Câmara Municipal de Fortaleza; Medalha UNIFOR, Ano X, UNIFOR; Diploma de Cidadania, Assembleia Nacional Constituinte.

 

Trabalhos Publicados:

 

Os Mastócitos na Língua do Rato Albino, 1963; Tratamento do Calazar pela Esplenectomia. A Propósito de um Caso,1966-1967; Abscesso Cerebral Pós-Traumático. Relato de um Caso – Revista da Faculdade de Medicina da UFC,1968; Lesiones Cutâneas Contemporâneas del Kals-Azar, com outros autores, 1969; Hepatite por Vírus na Gestação. Considerações sobre Diagnósticos, Letalidade e Evolução da Gestação – Revista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo, 1969; Criptococose Pulmonar e Nervosa. Comentário em torno de dois casos. Revista da Faculdade de Medicina da UFC, 1969; Afinal Será o Antígeno Australiano o Vírus da Hepatite? Revista da Faculdade de Medicina da UFC, 1969; Compromisso Interior, 1973; Sinos da Consciência, 1975; O Descompasso dos Tempos, 1975; Um Médico Vê o Homem, 1976; A Mullher num Novo Tempo, 1980; Saúde e a Velhice, 1980; A Saúde da Comunidade,1981; Política Municipal de Proteção ao Ambiente, 1981; Ação Parlamentar – Primeiro Semestre, 1983; Um Brado na Luta por uma Vida Melhor, 1983; Cem Anos de Liberdade 1884/1984, 1984; A Questão Educacional Brasileira, 1984; Fortaleza Ano 2000, 1985; Inquietações que Fazem Escrever, 1986; Lúcio Alcântara Mostra Trabalho, 1986; Ceará Forte, 1988; O SUS, o INAMPS e a Descentralização da Saúde – Uma Ameaça de Retrocesso. Com outros autores, 1991; Gestão de Saúde Pública: Alguns Desafios Propostos pelo SUS, Série Técnica 2; Desconcentração Administrativa – Ampliando a Autonomia das Unidades de Saúde da Rede Estadual – Atos da Secretaria de Saúde. Série Técnica 4, 1992. Praticando a Descentralização. Série Técnica, 1992; Praticando a Descentralização. Instruções para Programação de Investimentos na Área de Saúde. Fundação Waldemar Alcântara, 1992; O PDT e o Nordeste: Uma Contribuição à Discussão. Fundação Waldemar Alcântara, 1993; Preservação dos Fósseis do Cariri. Revista Itaytera, nº 40, Instituto Cultural do Cariri, p. 97-100. Crato-CE, 1996; O Beato, o Devoto e o Soldado – Lembrando Canudos. Brasília. Senado Federal, Gabinete do Senador; Pequenos Escritos. Seleção de artigos que o senador Lúcio Alcântara escreveu e publicou em vários jornais do País entre 1984 e 1999 – Gabinete do Senador Lúcio Alcântara – Senado Federal, 2001; Brasil, Brasis: Reflexões sobre a Política e a História. In: Síntese: Revista de Ideias, editada pelo Gabinete do Senador Lúcio Alcântara. Ano 5. Brasília, 2000; Crise do Mercosul e Política Internacional. In: Carta Internacional, n.º 94-95, Ano IX, Dez./2000 – Jan./2001. Universidade de São Paulo e Fundação Alexandre Gusmão. São Paulo. Coleção Ideias n.º 1 a 8; O Novo Estado Social, In: Realizações e Desafios de um Programa Social Democrata no Brasil. PSDB. Comissão Executiva Nacional. Instituto Teotônio Vilela. Rio de Janeiro, 29 de novembro de 1999; Lúcio Alcântara: 4 Anos de Mandato em Defesa da Cidadania, 1995 a 1998, Gabinete do Senador Lúcio Alcântara – Senado Federal, 1999.

 

É membro da Academia Cearense de Letras, titular da cadeira 26. Foi presidente da Cruz Vermelha no Ceará (1976) e do Instituto Teotônio Vilela (1996 a 2002). (JBSG com Senado Federal). (JBSG)

 

Atividades

Visitantes

Total: 15018