Quinta, 24 Maio 2018

Antonio Carlos Aguiar (Sobral)

Antonio Carlos Aguiar (Sobral) - Somos 2000 - Aguiar em Brasília.

 

 

Ele adotou um lema que equivale a um grito de guerra: “Quem não nasceu para servir, não serve para viver”.

 

Antonio CARLOS de Aguiar nasceu em 25 de outubro de 1955, em Mulungu dos Carlos, munícipio de Sobral-CE, a 230km de Fortaleza, filho de Cesário Ximenes de Aguiar (1/5/1923- 24/8/2012), agricultor, autodidata, ético, verdadeiro, matemático, exemplo de vida e personalidade. Trabalhava com couro, arreios para animais, casado com Maria Angelita Aguiar, costureira, paciente, serena, não ofende a ninguém e preza pelos bons modos. Antonio Carlos de Aguiar fez o primário na escola dom Expedito, em Sobral, e o 2º grau iniciou em Jaibáras e concluiu na escola Sinhá Saboia, em Presidente Dutra-MA.

 

Muito cedo, já trabalhava com seu pai na agricultura e com 15 anos foi para Parnaíba-PI ajudar seu irmão Jurandir em sua quitanda e, em 5 de maio de 1972, vieram para Brasília. Carlos, Jurandir e Marlúcia foram para a casa do cunhado de Jurandir, Jânio (Gerardo Bezerra) no Gama, todos felizes da vida com as oportunidades que se vislumbravam.

 

Antonio Carlos, então com 16 anos, logo arrumou serviço de entregador de garrafas de café em escritórios no Setor Comercial Sul. Trabalhava 16 horas e ganhava meio salário mínimo por mês. Em busca de melhora, trocou o café para trabalhar como balconista no barracão de madeira do INPS Central, na W3 705; em lanchonete de um cearense de Canindé; depois, em uma lanchonete na W3 505 como balconista; foi cumin no Restaurante do Aeroporto. Em 1975, com 20 anos, foi taxista em sociedade com um primo Fátimo. A saudade de Sobral bateu, vendeu o táxi e foi ser taxista em Sobral, no Posto 7, na Praça do Rosário, telefone 555.

 

Ainda em 1976, Ademarino ligou informando que ele fora contemplado com casa da SHIS. Veio correndo, entregou a documentação na SHIS e voltou para o táxi em Sobral, onde conheceu sua futura esposa Natalina Souza de Aguiar. Cinco meses depois, foi chamado para receber a Casa na QNO 9 Cj. F Cs 19 Ceilândia Norte-DF. Fez uma pequena reforma e trocou por outra casa mais confortável na QNL 12 Cj F Cs 11. Entre o Nordeste e Brasília, mostrou determinação e vontade de vencer os desafios.

 

Em Brasília, foi trabalhar de novo no restaurante do Aeroporto até 10 de setembro de 1977, quando o primo Edmar Parente, sócio de Ademarino, que fora garçom, botou um bar, o Bar e Snooker Sobral, na CNJ 4 Bl A lj 4, decidiu lhe arrendar o bar e ainda lhe emprestou 10 mil cruzeiros para tocar o negócio. Depois de um ano, estava tudo pago, inclusive os 10 mil do empréstimo.

 

Em 31 de dezembro de 1978, casou-se com Natalina Souza de Aguiar, filha de Edmilson Pontes Souza e Teresinha Vasconcelos Souza. Hoje, Natalina é polivalente e cuida de todas as áreas das lojas. “O nosso sucesso, atribuo à minha família”.

 

Em 18 de dezembro de 1979, nasceu sua filha primogênita, Karla Souza de Aguiar, contadora, pós-graduada pela FGV, trabalha na empresa, na área Financeira e de Recursos Humanos desde 15 anos, divorciada e tem um filho, Guilherme Estrela Mendes Aguiar, nascido em 15 de agosto de 1999. Em 30 de outubro de 1982, nasceu Kleber Souza de Aguiar, solteiro, administrador, trabalha na empresa, nos setores de Compras e Transportes. Por fim o caçula Klayton Souza de Aguiar, solteiro, graduado em Ciência da Computação, pós-graduado em Estratégia Empresarial, trabalha na empresa como gerente de Marketing e gerente de uma das lojas.

 

Carlos tocou o bar até 1985, quando vendeu e comprou a vidraçaria e a loja ao lado na CNJ 4, lj 5. O novo negócio começou a empinar, comprou também a loja 6 e abriu um armarinho para a esposa, Natalina, tomar conta.

 

Em 1988, pensou em voltar a Sobral, arrendou a sua vidraçaria, mas não conseguiu vender o armarinho, então desistiu.

 

Colocou uma casa de material de construção em sociedade com Paulo Vilela, a PV Carlos, no setor P Norte da Ceilândia-DF. Em 1989, desfez a sociedade com Paulo, levando o estoque de miudezas para a Vidraçaria, que foi mudando de perfil para loja de material de construção. Então trocou a razão social para KSA Materiais de Construção, comprou as lojas ao lado, aumentou o estoque e abriu uma filial na M-Norte Taguatinga-DF em 2005.

 

Radioamador PT 2 KSA desde 1980 e presidente do faixa cidadão, maçom desde 1986 Grau 33, foi sete vezes presidente de Lojas Maçônicas (Simbolismo, dos Graus 1 a 3, duas vezes; Perfeição do Grau 4 a 14, uma vez; Capítulo, do Grau 15 a 18, uma vez; Kadosh do Grau 19 a 30, uma vez; Consistório, do 31 a 33, duas vezes; atual, até 2013; deputado federal maçônico, quatro vezes; e ocupou outros cargos como: Orador, 1º Vigilante, 2º Vigilante, Conselheiro do “Grande Oriente” do Distrito Federal (GODF).

 

Em 2002, foi agraciado com a Comenda Pioneira Destaque de Taguatinga; em 2003, recebeu o título de Cidadão Honorário de Taguatinga; em 2005, o título de Cidadão Honorário de Brasília; de 1989 a 2006, foi membro do Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Taguatinga; participou da elaboração do Plano Diretor Local de Taguatinga e coordenou várias campanhas humanitárias.

 

E ainda em 2013 é fundador e presidente da Associação dos que Querem Bem a Sobral e ao DF (AQQB SOBRALDF). (JBSG)

 

Atividades

Visitantes

Total: 15018