Quinta, 24 Maio 2018

Antônio Assunção de Oliveira (Iguatu)

Antonio Assunção de Oliveira (Iguatu) - O bancário que conquistou Brasília

 

 

Antônio Assunção de Oliveira nasceu em 16 de junho de 1945, na cidade de Iguatu/CE. Filho de Francisco Alves de Oliveira, comerciante e produtor rural, cujas terras destinavam-se à criação de gado e à produção de grãos como arroz, feijão, milho, etc., à plantação de frutas diversas e ao cultivo do algodão, principal economia daquela região, e de Maria Augusta Assunção de Oliveira, do lar, dedicada à criação e educação dos nove filhos do casal, dos quais Antônio é o sétimo. Foram seus avós paternos o coronel José Adolfo de Oliveira, primeiro prefeito de Iguatu, e Maria Leopoldina Barreto de Oliveira; e maternos, Cesário Assunção, primeiro tabelião de Iguatu, e Luzia Nogueira de Castro.

 

Dois de seus irmãos, Hélio e Ivaneide (ambos já falecidos), foram pioneiros em Brasília, chegando aqui na década de sessenta, constituindo família e se estabelecendo em Taguatinga (DF), onde ainda hoje residem alguns de seus familiares. Os outros, Maurício (médico) e Newton (comerciante), residem em Fortaleza (CE); José Adolfo, Ivanira e Silvio Roberto também são falecidos e apenas Helmo continua em Iguatu (CE). Além desses, dois outros irmãos de coração, João Dantas, juiz de Direito em Limoeiro do Norte (CE), e Antônia Félix de Medeiros, residente em Vicente Pires (DF), fizeram parte de sua infância e adolescência, compartilhando brincadeiras e travessuras no Sítio Araras, onde residiam.

 

Durante sua infância, acompanhava seu pai e irmãos ao trabalho na lavoura e pecuária, atividades que os levavam a competirem entre si para ver quem mais se destacava naquelas tarefas, sem, entretanto, esquecerem os estudos, alternando o trabalho com a ida à escola. Nas horas livres, ainda auxiliava nos serviços pertinentes à Casa São José, estabelecimento comercial pertencente à família.

 

Fez seus estudos preliminares no Grupo Escolar Dr. Manoel Carlos de Gouveia, frequentando, mais tarde, o Colégio Adahil Barreto.

 

Em sua juventude, ainda em Iguatu, fundou o Grupo de Escoteiros e Lobinhos, exercendo a função de chefe até sua saída daquela cidade. Foi diretor social do Clube de Caça e Pesca e também do Clube Recreativo Iguatuense.

 

Ingressou no Banco do Brasil em outubro de 1966, permanecendo naquela cidade até janeiro de 1971. Nesse ínterim, assumiu a Presidência da Associação Atlética Banco do Brasil e depois a Diretoria da Cooperativa de Consumo dos Funcionários do Banco do Brasil.

 

Em 1971, foi transferido para a Agência Metropolitana do Ipiranga, em São Paulo, onde trabalhou até 1976, quando então foi remanejado para a Gerência de São Paulo (GESAP).

 

Casou-se em Brasília-DF, na Igreja do Santo Cura D’Ars, em 17 de junho de 1972, com Maria Evanir Rangel de Oliveira, filha de Justino Rangel (ex-coletor estadual em Iguatu) e Honorina de França Vital Rangel. Evanir já residia em Brasília com seus familiares e era funcionária do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

 

Após o casamento, fixaram residência em São Paulo (SP) e lá nasceram seus primeiros filhos Rodrigo e Daniel, em 1976 e 1978, respectivamente. Depois de algum tempo, resolveram transferir-se para Brasília, com a finalidade de morar em um lugar mais tranquilo para a criação dos filhos, com mais oportunidades e também mais próximos dos familiares.

 

Em 1979, concretizaram essa mudança e aqui se fixaram no Lago Sul, onde moram até hoje e, em 1983, nasceu sua filha Juliana.

 

No Banco do Brasil, trabalhou na Coordenação Técnica (COTEC), na Coordenação de Estudos Socioeconômicos (COESE), no Departamento de Fundos e Programas (DEFUP) e na Gerência de Comércio Exterior (SECEX). Sua esposa, Evanir, também ingressou no Banco em 1979 e ambos aposentaram em 1995.

 

Sempre voltado para atividades sociais, participou da fundação da União dos Amigos do Lago Sul (UAL), do Centro Voluntário Candango para prestação de serviços voluntários, da Associação de Moradores da QI 23 no Lago Sul e da Associação dos Funcionários Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil (AFABB); exerceu o cargo de diretor de Esporte, Cultura e Lazer na Administração do Lago Sul, gestão Cristóvam Buarque. Exerceu, ainda, funções de coordenação nos Ministérios da Saúde, Integração e Indústria e Comércio e ainda de vice-presidente administrativo e social da Associação Atlética Banco do Brasil.

 

Embora sem esquecer suas origens de cearense, adotou Brasília como sua cidade e aqui criou e educou os filhos Rodrigo Rangel de Oliveira, hoje morando em São Paulo, formado em Educação Física, promotor musical e sócio da Banda Batom na Cueca (oriunda de Brasília), casado com Giselli Sencovici, formada em Administração e juntos têm uma filha, Beatriz; Daniel Rangel de Oliveira, solteiro, formado em Fisioterapia, funcionário do Banco do Brasil e empresário na área de alimentação; e Juliana Rangel de Oliveira, solteira, formada em Fisioterapia e Acupuntura, ambos residentes em Brasília. (JBSG)

 

Atividades

Visitantes

Total: 15018