SITE EM ATUALIZAÇÃO... Otamar de Carvalho
Terça, 16 Outubro 2018

Otamar de Carvalho

Agrônomo, apegado ao semiárido

OTAMAR DE CARVALHO nasceu em 26 de janeiro de 1937, em Senador Pompeu, Ceará. Por circunstâncias espaço-temporais, seu avô paterno o registrou como nascido em Jaguaribe e sua mãe como de Senador Pompeu. Acabou prevalecendo o registro de nascimento em Fortaleza, tirado às pressas, em 1948, para que não perdesse a inscrição ao Exame de Admissão, então necessário, ao ingresso no Liceu do Ceará. Para evitar eventuais problemas, esta foi a Certidão de Nascimento que passou a usar, perdendo-se as duas outras nas vagas do tempo. Assim mesmo, considera-se, de verdade e de coração, filho de Senador Pompeu.

Daí talvez a razão do seu apego e amor ao território e às temáticas do Semiárido, a que se dedicou, desde cedo. Ao longo de sua vida profissional, como agrônomo e economista, tem procurado se manter atualizado e ligado aos problemas e possibilidades de desenvolvimento do Nordeste, em suas variadas perspectivas – do desenvolvimento econômico ao desenvolvimento sustentável, que vai sendo conceitualmente mudado e pautado pelas ênfases produzidas no contexto das mudanças climáticas.

Graduou-se em Agronomia, pela Escola de Agronomia da Universidade Federal do Ceará (EAUFC), turma de 1960. Tem curso de graduação em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE (1969) e doutorado em Economia pela Universidade Estadual de Campinas-Unicamp, Campinas-SP (1985). Sua Tese de Doutorado,“A Economia Política do Nordeste – Secas, Irrigação e Desenvolvimento”,de 1985, foi publicada pela Editora Campus, em 1988.Para sua formação profissional, participou de diversos cursos: o Curso de Extensão Rural promovido pela ANCAR-PE, realizado no Centro de Treinamento do Nordeste (Cetreino), em 1961, e o Curso de Desenvolvimento Econômico promovido pela Sudene, em colaboração com a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL), em Recife-PE (1963). Ministrou diversos cursos e treinamentos, em instituições como a Sudene, BNB, CEPAL, Banco Central e Universidade de Brasília, ministrando aulas e proferindo palestras sobre desenvolvimento regional, secas e irrigação, atuando ainda como professor de Planejamento Agrícola em Cursos de Mestrado, e participando de Bancas de Tese de Doutoramento, na Unicamp (seis) e na Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (uma).

Iniciou sua carreira profissional na Associação Nordestina de Crédito e Assistência Rural (ANCAR-PE), como extensionista agrícola do município de Belém do São Francisco (1961/62).

Em 1962 foi admitido na Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste-Sudene, quando ainda atuava com a força da instituição forjada por Celso Furtado, onde trabalhou, inicialmente, no Projeto de Colonização do Maranhão, depois no Departamento de Agricultura e Abastecimento (DAA) (até 1970) e, mais tarde, na Assessoria Técnica da Sudene, onde permaneceu até 1972.Nesse período, participou da elaboração do III e IV Planos Diretores de Desenvolvimento Econômico e Social do Nordeste, e coordenou a elaboração do I Plano de Desenvolvimento do Nordeste (1972-1974), como Diretor da Assessoria Técnica da Sudene. Esses trabalhos chamaram a atenção de Henrique Brandão Cavalcanti, à época (1971) Secretário-Geral do Ministério do Interior-Minter, que o convidou a trabalhar em Brasília, para onde se mudou em março de 1972.

Nesse Ministério trabalhou, de março de 1972 a março de 1979, como Secretário-Geral Adjunto e Secretário de Planejamento e Operações. Viajou e pensou, durante esse tempo, o desenvolvimento brasileiro, em bases regionais. Coordenou e colaborou na elaboração de estudos e pesquisas que culminaram com a formulação da I Política Nacional de Migrações Internas, concebida e estruturada juntamente com o IPEA e o IBGE. Coordenou os trabalhos de detalhamento do II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND), em relação às ações do Minter, para o período 1975-1979. Foi responsável pela coordenação, revisão e redação final dos documentos daquele Plano Nacional para o Nordeste, Amazônia, Centro-Oeste, Região Sul, Vale do São Francisco, Territórios de Roraima, Rondônia e Amapá, para a área de Desenvolvimento Urbano, e para o Programa de Irrigação do Nordeste Semi-árido (para o período 1976-1979). Ainda no âmbito do Minter, preparou a proposta dessa Pasta e de cada uma de suas entidades vinculadas, relativa ao Projeto do Minter para o III PND, que vigorou no período 1980-1985.

De 1979 a 1980 ocupou o cargo de Secretário de Agricultura e Abastecimento do Ceará, no Governo Virgílio Távora.

Integrou a equipe do IPLAN-IPEA, em 1985, onde permaneceu até 1986. Como Coordenador de Planejamento Regional do IPLAN-IPEA, coordenou os trabalhos do capítulo dedicado ao desenvolvimento regional e urbano do I Plano Nacional de Desenvolvimento da Nova República (I PND-NR), para o período 1986-1990.

Colaborou com o Programa Nacional de Irrigação-PRONI, no período 1986-1988, e foi responsávelpela elaboração de vários dos seus planos e programas, com destaque para o Plano Quinquenal de Irrigação (1990-1995).

Foi Coordenador de Planejamento da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) de 1990 a 1992, aposentando-se, neste último ano, do serviço público federal. Nessa última empresa foi técnico de 1977 a 1992.

Tem atuado de 1992 para cá como consultor independente,trabalhando para instituições como o PNUD, OEA, UNESCO, IICA, DNOCS, Sudene, Codevasf, ANA, Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará; e várias outras.

É sócio e pesquisador da “Geoeconomica, Estudos e Pesquisas em Sustentabilidade”, empresa com sede no Rio de Janeiro.

Publicou diversos trabalhos técnicos, com destaque para os especificados a seguir, por tópicos:

Livros: “Alternativas de Desenvolvimento para o Nordeste Semiárido”, Fortaleza-CE: BNB, 2003 (com a colaboração do Geógrafo Claudio A. G. Egler); “A Economia política do Nordeste: secas, irrigação e desenvolvimento”, Rio de Janeiro-RJ: 1988; “Desenvolvimento Regional, um Problema Político”, Rio de Janeiro-RJ: 1979; e “Plano Integrado para o Combate Preventivo aos Efeitos das Secas no Nordeste”, Brasília-DF: 1973;

Opúsculos: “A Agricultura do Ceará e a Seca de 1979”, Fortaleza-CE: SAAb, 1979, e diversos outros, sobre desenvolvimento regional e desenvolvimento rural;

Artigos:“As Secas e seus Impactos”. Capítulo 2 do livroA Questão da Água no Nordeste/Centro de Gestão de Estudos Estratégicos. Agência Nacional de Águas. Brasília, DF: CGEE, 2012. (ISBN 978-85-60755-45-5 (p. 45-100.); “Nordeste Semiárido: Transformação de Potencialidades em Possibilidades Econômicas”. Revista Plenarium, Brasília: 2010, 22 p. (Número Especial sobre o Nordeste Semiárido);“O soerguimento do DNOCS”, Fortaleza-CE, DNOCS (Revista Conviver o Semiárido), 2009; “Áreas Prioritárias para o Combate à Desertificação”, Petrolina-PE: Embrapa Semiárido, 2009; “Políticas Antissecas e Irrigação”, Fortaleza-CE, DNOCS (Revista Conviver o Semiárido), 2004; “Nordeste: a Falta que o Planejamento Faz”. São Paulo-SP: UNESP: ANPUR (Regiões e cidades, cidades nas regiões: o desafio urbano-regional), 2003; “Sustentação da Agricultura Irrigada do Nordeste”, Natal-RN, 1997; “Projeto de Transposição de Águas do São Francisco”, Fortaleza-CE: BNB (Revista Econômica do Nordeste), 1994; além de mais de 40 (quarenta) outros artigos sobre desenvolvimento regional e irrigação.

Como consultor, produziu inúmeros trabalhos junto a várias instituições, dentre as quais devem ser destacados as seguintes: “Programa de Combate à Desertificação no Âmbito do Pró-Água Semiárido (PASA Antidesertificação)”, Brasília-DF: Ministério da Integração Nacional-MI, Ministério do Meio Ambiente-MMA e UNESCO, 2006 (com a colaboração do Eng. Agrônomo João Bosco de Oliveira); “Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste Semiárido”, Brasília-DF, MI, 2005; “Contribuição da ‘Nova Sudene’ para o Desenvolvimento da Região Semiárida do Nordeste”, Brasília-DF: MI, 2003; “Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Seridó-RN” (responsável pelos trabalhos das dimensões espacial, ambiental e científica e tecnológica, além de editor), Caicó-RN: Seplan-RN, 2000; e vários outros.

Otamar de Carvalho é casado com Ana Maria Matos Carvalho. É pai de dois filhos (André Felipe e Alexandre) e avô de cinco netos (Felipe, Miguel e Ivan; e Luiza e Laura). Reside em Brasília, desde março de 1972. e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. (JCSF)

Atividades

Visitantes

Total: 15018