Quinta, 24 Maio 2018

Otamar de Carvalho

Agrônomo, apegado ao semiárido

OTAMAR DE CARVALHO nasceu em 26 de janeiro de 1937, em Senador Pompeu, Ceará. Por circunstâncias espaço-temporais, seu avô paterno o registrou como nascido em Jaguaribe e sua mãe como de Senador Pompeu. Acabou prevalecendo o registro de nascimento em Fortaleza, tirado às pressas, em 1948, para que não perdesse a inscrição ao Exame de Admissão, então necessário, ao ingresso no Liceu do Ceará. Para evitar eventuais problemas, esta foi a Certidão de Nascimento que passou a usar, perdendo-se as duas outras nas vagas do tempo. Assim mesmo, considera-se, de verdade e de coração, filho de Senador Pompeu.

Daí talvez a razão do seu apego e amor ao território e às temáticas do Semiárido, a que se dedicou, desde cedo. Ao longo de sua vida profissional, como agrônomo e economista, tem procurado se manter atualizado e ligado aos problemas e possibilidades de desenvolvimento do Nordeste, em suas variadas perspectivas – do desenvolvimento econômico ao desenvolvimento sustentável, que vai sendo conceitualmente mudado e pautado pelas ênfases produzidas no contexto das mudanças climáticas.

Graduou-se em Agronomia, pela Escola de Agronomia da Universidade Federal do Ceará (EAUFC), turma de 1960. Tem curso de graduação em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE (1969) e doutorado em Economia pela Universidade Estadual de Campinas-Unicamp, Campinas-SP (1985). Sua Tese de Doutorado,“A Economia Política do Nordeste – Secas, Irrigação e Desenvolvimento”,de 1985, foi publicada pela Editora Campus, em 1988.Para sua formação profissional, participou de diversos cursos: o Curso de Extensão Rural promovido pela ANCAR-PE, realizado no Centro de Treinamento do Nordeste (Cetreino), em 1961, e o Curso de Desenvolvimento Econômico promovido pela Sudene, em colaboração com a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL), em Recife-PE (1963). Ministrou diversos cursos e treinamentos, em instituições como a Sudene, BNB, CEPAL, Banco Central e Universidade de Brasília, ministrando aulas e proferindo palestras sobre desenvolvimento regional, secas e irrigação, atuando ainda como professor de Planejamento Agrícola em Cursos de Mestrado, e participando de Bancas de Tese de Doutoramento, na Unicamp (seis) e na Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (uma).

Iniciou sua carreira profissional na Associação Nordestina de Crédito e Assistência Rural (ANCAR-PE), como extensionista agrícola do município de Belém do São Francisco (1961/62).

Em 1962 foi admitido na Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste-Sudene, quando ainda atuava com a força da instituição forjada por Celso Furtado, onde trabalhou, inicialmente, no Projeto de Colonização do Maranhão, depois no Departamento de Agricultura e Abastecimento (DAA) (até 1970) e, mais tarde, na Assessoria Técnica da Sudene, onde permaneceu até 1972.Nesse período, participou da elaboração do III e IV Planos Diretores de Desenvolvimento Econômico e Social do Nordeste, e coordenou a elaboração do I Plano de Desenvolvimento do Nordeste (1972-1974), como Diretor da Assessoria Técnica da Sudene. Esses trabalhos chamaram a atenção de Henrique Brandão Cavalcanti, à época (1971) Secretário-Geral do Ministério do Interior-Minter, que o convidou a trabalhar em Brasília, para onde se mudou em março de 1972.

Nesse Ministério trabalhou, de março de 1972 a março de 1979, como Secretário-Geral Adjunto e Secretário de Planejamento e Operações. Viajou e pensou, durante esse tempo, o desenvolvimento brasileiro, em bases regionais. Coordenou e colaborou na elaboração de estudos e pesquisas que culminaram com a formulação da I Política Nacional de Migrações Internas, concebida e estruturada juntamente com o IPEA e o IBGE. Coordenou os trabalhos de detalhamento do II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND), em relação às ações do Minter, para o período 1975-1979. Foi responsável pela coordenação, revisão e redação final dos documentos daquele Plano Nacional para o Nordeste, Amazônia, Centro-Oeste, Região Sul, Vale do São Francisco, Territórios de Roraima, Rondônia e Amapá, para a área de Desenvolvimento Urbano, e para o Programa de Irrigação do Nordeste Semi-árido (para o período 1976-1979). Ainda no âmbito do Minter, preparou a proposta dessa Pasta e de cada uma de suas entidades vinculadas, relativa ao Projeto do Minter para o III PND, que vigorou no período 1980-1985.

De 1979 a 1980 ocupou o cargo de Secretário de Agricultura e Abastecimento do Ceará, no Governo Virgílio Távora.

Integrou a equipe do IPLAN-IPEA, em 1985, onde permaneceu até 1986. Como Coordenador de Planejamento Regional do IPLAN-IPEA, coordenou os trabalhos do capítulo dedicado ao desenvolvimento regional e urbano do I Plano Nacional de Desenvolvimento da Nova República (I PND-NR), para o período 1986-1990.

Colaborou com o Programa Nacional de Irrigação-PRONI, no período 1986-1988, e foi responsávelpela elaboração de vários dos seus planos e programas, com destaque para o Plano Quinquenal de Irrigação (1990-1995).

Foi Coordenador de Planejamento da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) de 1990 a 1992, aposentando-se, neste último ano, do serviço público federal. Nessa última empresa foi técnico de 1977 a 1992.

Tem atuado de 1992 para cá como consultor independente,trabalhando para instituições como o PNUD, OEA, UNESCO, IICA, DNOCS, Sudene, Codevasf, ANA, Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará; e várias outras.

É sócio e pesquisador da “Geoeconomica, Estudos e Pesquisas em Sustentabilidade”, empresa com sede no Rio de Janeiro.

Publicou diversos trabalhos técnicos, com destaque para os especificados a seguir, por tópicos:

Livros: “Alternativas de Desenvolvimento para o Nordeste Semiárido”, Fortaleza-CE: BNB, 2003 (com a colaboração do Geógrafo Claudio A. G. Egler); “A Economia política do Nordeste: secas, irrigação e desenvolvimento”, Rio de Janeiro-RJ: 1988; “Desenvolvimento Regional, um Problema Político”, Rio de Janeiro-RJ: 1979; e “Plano Integrado para o Combate Preventivo aos Efeitos das Secas no Nordeste”, Brasília-DF: 1973;

Opúsculos: “A Agricultura do Ceará e a Seca de 1979”, Fortaleza-CE: SAAb, 1979, e diversos outros, sobre desenvolvimento regional e desenvolvimento rural;

Artigos:“As Secas e seus Impactos”. Capítulo 2 do livroA Questão da Água no Nordeste/Centro de Gestão de Estudos Estratégicos. Agência Nacional de Águas. Brasília, DF: CGEE, 2012. (ISBN 978-85-60755-45-5 (p. 45-100.); “Nordeste Semiárido: Transformação de Potencialidades em Possibilidades Econômicas”. Revista Plenarium, Brasília: 2010, 22 p. (Número Especial sobre o Nordeste Semiárido);“O soerguimento do DNOCS”, Fortaleza-CE, DNOCS (Revista Conviver o Semiárido), 2009; “Áreas Prioritárias para o Combate à Desertificação”, Petrolina-PE: Embrapa Semiárido, 2009; “Políticas Antissecas e Irrigação”, Fortaleza-CE, DNOCS (Revista Conviver o Semiárido), 2004; “Nordeste: a Falta que o Planejamento Faz”. São Paulo-SP: UNESP: ANPUR (Regiões e cidades, cidades nas regiões: o desafio urbano-regional), 2003; “Sustentação da Agricultura Irrigada do Nordeste”, Natal-RN, 1997; “Projeto de Transposição de Águas do São Francisco”, Fortaleza-CE: BNB (Revista Econômica do Nordeste), 1994; além de mais de 40 (quarenta) outros artigos sobre desenvolvimento regional e irrigação.

Como consultor, produziu inúmeros trabalhos junto a várias instituições, dentre as quais devem ser destacados as seguintes: “Programa de Combate à Desertificação no Âmbito do Pró-Água Semiárido (PASA Antidesertificação)”, Brasília-DF: Ministério da Integração Nacional-MI, Ministério do Meio Ambiente-MMA e UNESCO, 2006 (com a colaboração do Eng. Agrônomo João Bosco de Oliveira); “Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste Semiárido”, Brasília-DF, MI, 2005; “Contribuição da ‘Nova Sudene’ para o Desenvolvimento da Região Semiárida do Nordeste”, Brasília-DF: MI, 2003; “Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Seridó-RN” (responsável pelos trabalhos das dimensões espacial, ambiental e científica e tecnológica, além de editor), Caicó-RN: Seplan-RN, 2000; e vários outros.

Otamar de Carvalho é casado com Ana Maria Matos Carvalho. É pai de dois filhos (André Felipe e Alexandre) e avô de cinco netos (Felipe, Miguel e Ivan; e Luiza e Laura). Reside em Brasília, desde março de 1972. e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. (JCSF)

Atividades

Visitantes

Total: 15018