Quinta, 24 Maio 2018

Tácito Theóphilo Gaspar de Oliveira

General Tácito Theóphilo Gaspar de Oliveira (Fortaleza) superintendente da SUDENE e Ministro Chefe do EMFA In memoriam

O general Tácito Theóphilo Gaspar de Oliveira é uma das figuras mais distintas e queridas da sociedade cearense. Homem afável, distinto, inteligente, conquista pelo cavalheirismo, simpatia e pela cultura. Foi comandante da 10a. Região Militar em Fortaleza e tornou-se figura obrigatória em todos os cometimentos sociais, esportivos e, sobretudo, culturais. É membro titular do Instituto do Ceará, para o qual foi eleito a 23 de abril de 1980. Foi eleito presidente do Instituto em 1983 e deixou sua marca nos grandes melhoramentos que introduziu na Entidade, quer em recuperação imobiliária, quer no tocante aos serviços.

 

Tácito Theóphilo nasceu no dia 12 de janeiro de 1914, em Fortaleza-CE, filho de José Theóphilo Gaspar de Oliveira e Alice Teixeira Theóphilo Gaspar de Oliveira. É casado com Yollanda Gadela Theóphilo Gaspar, escritora com vários livros publicados, entre os quais: Eu e o Tio Sam (1963); Longa Tarde Sem Manhã (1967); Instante dentro do Tempo (1972); e As Acácias Estão Florindo (1977).

 

Fez o general Tácito os seus primeiros estudos no colégio Nogueira; o curso preparatório no colégio Militar do Ceará. Foi declarado aspirante a oficial em 1934, no Rio de Janeiro. Sua carreira militar foi das mais brilhantes, atingindo o posto de major, por merecimento, em 1951; tenente-coronel por merecimento, em 1955; coronel, por merecimento, em 1961; general de brigada, em 1966; general de divisão, em 1972; e general do Exército em 1976. Fez cursos no colégio Militar do Ceará, Escola Militar do Realengo, Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, Escola de Comando do Estado-Maior do Exército, Escola de Guerra Naval e Escola Superior de Guerra.

 

Tem uma longa folha de serviços prestados à Pátria, cabendo ressaltar a sua participação na II Grande Guerra, quando comandou, durante toda a Campanha da Itália, assegurando a defesa, o transporte e a alimentação do pessoal do Quartel-General. Embarcou com sua unidade em 20/9/19, regressando em 3/8/45. Ainda na Itália, foi agraciado com a Medalha de Guerra, em cerimônia realizada na cidade de Alessandra, em 19 de maio de 1945. No Brasil, recebeu as Medalhas de Campanha e Bronze Star (EUA).

 

Exerceu a função de chefe da 3a. Seção (Planejamento e Operações) do Estado-Maior da Força Interamericana de Paz na República Dominicana, função que exerceu de 21 de junho de 1965 até 1o. de fevereiro de 1966.

 

Desempenhou outras funções de fundamental importância, como a de superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE). O ministro do Interior ressaltou a sua atuação, declarando o muito que lhe ficou a dever o Nordeste, pelo trabalho profícuo que empreendeu na SUDENE, com dedicação, serenidade, firmeza e determinação invulgares, reafirmando, mais uma vez, em função civil, suas grandes qualidades de administrador, condutor de homens e chefe nato. Tácito foi ainda ministro de Estado, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Brasília, DF, de 27/10/77 a 20/12/78.

 

Entre as inúmeras condecorações que recebeu, vale destacar: Grã-Cruz da Ordem do Mérito das Forças Armadas; Grã-Cruz da Ordem do Rio Branco; Grã-Cruz da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho; Grã-Cruz da Ordem do Mérito Brasília; Grã-Cruz da Ordem Estrela do Acre; Grande Oficial do Mérito Naval; Grande Oficial da Ordem do Mérito Aeronáutico; Medalha de Campanha da Força Expedicionária Brasileira; Medalha Militar de Ouro Passador de Platina (40 anos); Medalha de Guerra; Medalha do Pacificador; Medalha do Mérito Tamandaré; Medalha do Mérito Santos Dumont; Medalha da Abolição (Governo do Ceará); Medalha Pernambucana do Mérito; Mérito Mauá (Ministério dos Transportes); Bronze Star Medal (Estados Unidos); Army Comendation Medal (Estados Unidos); Medalha Abdon Calderon (Equador); Gran Estrella al Mérito Militar (Chile); Medalha ao Mérito da FIP (Organização dos Estados Americanos).

 

Sempre estudioso e dedicado às letras, colaborou nas revistas Defesa Nacional e Revista Militar Brasileira, editadas no Rio de Janeiro, colaborou na edição da História do Exército Brasileiro e publicou estudos sobre Caxias, Sampaio, Tibúrcio, Conde D’Eu, Independência, Guerra da Independência no Piauí e Maranhão, Colonização do Ceará, II Guerra Mundial, Campanha da FEB, etc.

 

Palestras e obras de Tácito Theóphilo: Datas e Heróis da Guerra do Paraguai, palestra na PRE9, Ceará Rádio Clube, em 3/9/70; Luís Alves de Lima e Silva, conferência pronunciada na Faculdade de Direito de Maceió, AL, em 22/8/41; O Conde D’Eu, conferência no 29a. BC, em Fortaleza por ocasião do centenário de nascimento de Luís Felipe Maria Fernando Gastão de Orleans, 1942; A Tomada de Monte Castelo, conferência na Associação Cearense de Ex-Combatentes, em 21/2/48; Napoleão e a História – A Defesa Nacional, em 1951; Patton – A Defesa Nacional, julho de 1951; Paz ou Guerra – A Defesa Nacional, agosto de 1951; Coreia – A Defesa Nacional, setembro 1950, maio 1951; Defeitos das Armas Atômicas, palestra no QGR/10, em 1957; Projéteis Teleguiados, palestra QGR/10, em 1957; A Importância da Cooperação do Povo na Organização e Manutenção do Exército, conferência para os alunos do Colégio Militar do Ceará; O Catolicismo nos Estados Unidos, palestra em 1958; Brasília, A Nova Capital, palestra no QGR/10, em 1958; Brigadeiro Antônio de Sampaio, alocução no túmulo do Gen. Sampaio, em 23/5/63; 7 de setembro de 1822, palestra no IBEU-Fortaleza, 1963; Comemoração da Tomada de Monte Castelo, palestra em Jundiaí, SP, 1967; Sudene (Nordeste), Série de Palestras na Escola Superior de Guerra, Universidade Mackenzie-SP, Universidade de Campinas-SP, Universidade de Mossoró-RN, e em todas as capitais do Nordeste e Centro-Sul, 1969 a 1970; A História do Exército Brasileiro: Revisão dos Aspectos Históricos das Monografias Básicas; Força Interamericana de Paz e Força de Emergência das Nações Unidas, III vol. 1981; Abolição Um Ato de Fé! do Instituto do Ceará, 1984; Independência do Brasil, Rev. do Instituto do Ceará, 1981; Martim Soares Moreno, o Capitão do Ceará, Instituto do Ceará, 1986.

 

Fontes: OLIVEIRA, Tácito Theóphilo Gaspar de (1914). Biografia.

 

OLIVEIRA, Guarino Alves de. Jubileu do Instituto do Ceará, no transcurso do primeiro centenário de sua fundação. TE. 8 (1987): 450-455.

 

OLIVEIRA, Tácito Theóphilo Gaspar de. Independência do Brasil. (JBSG)

 

 

 

 

 

Atividades

Visitantes

Total: 15018