Imprimir
Categoria: Uncategorised
Acessos: 18

Por jb serra e Gurgel (*)

 

Tia Perpétua, Perpétua Gurgel Pinheiro,  cujo centenário passou em 8 de outubro de 2009, compôs uma geração de mulheres de estirpe, descendentes de Henrique Gurgel do Amaral Valente (vovô do Rio, do rio Quincoê) e Joana Gondin Pereira e integrada por Almerinda, Maria do Carmo(Mariinha) , Minervina, Dionísia, Francisca (Tica), Antonia, Lidia e ela mesma, mulheres, mais Francisco, Henrique, Eduardo e Raimundo, mulheres. Só ela e Raimundo  nasceram em Lages, depois Afonso Pena e Acopiara,um ano depois da chegada da família Gurgel do Amaral Valente àquelas paragens do sertão central do Ceará,m 1908.

Vovô do rio estabeleceu-se em Lages, chegando como fornecedor de tudo para os trabalhadores que construíam a estrada de ferro Fortaleza-Crato.  Começara em Parangaba, depois que se separou de uma sociedade comercial que teve com seu irmão Teófilo Gurgel do Amaral Valente que se associou a Diogo Siqueira e criaram a Siqueira Gurgel, em Otávio , mas Bonfim, que marcou época com o sabão Pavão, “o melhor sabão do Brasil”, o óleo Pajeú, a “neguinha do Pajeú”, o sabonete Sigel e o time de futebol, Usina Ceará, a Vila Gurgel e o Estádio Teófilo Gurgel, na Av. José Bastos. Casou-se e os filhos foram nascendo pelo meio do caminho. Em Lages, comprou muitas terras, mas nunca ostentou riqueza. Viveu modesto e foi coletor e delegado.

Tia Perpétua  batizada por monsehor José Coelho, que  já perdeu  o status de praça em Acopiara, depois de ter marcado o território para a construção da igreja matriz, sendo padrinhos Pedro Gurgel do Amaral Valente  e Firmina Aguiar Gurgel do Amaral Valente. Estudou com sua irmã, Lidia, educou-se nos princípios do catolicismo, época em que muitas primas e primos e sobrinhos entraram para diferentes organizações católicas. Seus irmãos eram músicos: Henrique tocava vários instrumentos de sopro  e regeu a 1ª. banda de música da cidade, Eduardo tocava clarinete e foi o 2º. regente da banda, Mariinha, flauta doce e Lidia,bandolim. O eixo das festividades era a festa  da padroeira, NS do Perpétuo Socorro, quando haviam quermeses, desfiles, missas, apresentavam peças teatrais dirigidas por Mariinha e Lidia, tendo Perpétua os papeis de protagonista.

Em 1935, com 26 anos, casou-se com Manoel Olegário Pinheiro,  viúvo de Maria Lima Pinheiro com dois filhos,   Ruth e Agamenon,  O casamento durou apenas oito anos, dada enfermidade contraída por ele, mas lhe deixou o tesouro de cinco filhos, Rui, Airton, Olegário, Ubaldina e Reni. Em 1943, após a morte de Olegario, tia Perpetua foi à luta para sustentar , criar e educar os filhos e fez de tudo em Acopiara, menos casar de novo, apesar da fila de pretendentes. Foi professora leiga, auxiliar parteira de dona Nenem Nogueira, que pós uma geração de acopiarenses no mundo,auxiliar de cartório. Contou com a imensa ajuda da Irma Lidia que alfabetizou seus filhos e ainda adotou Reni,por um período ,enquanto as coisas melhoravam. Como caçula tinha ainda a doce proteção de vovô do Rio e de vovo Joaninha.

Em 1954, trocou Acopiara por Fortaleza, vindo morar numa casa confortável na Vila Gurgel e trabalhar na secção de fabricação do sabonete Sigel,na Siqueira Gurgel. Estava assegurada a sobrevivência de todos, com modéstia e honestidade. A solidariedade dos Gurgel aflorou. Rui,o filho mais velho, tomou o rumo do Rio de Janeiro,para onde partiram à mesma época seus primos, Teofilho, Niceas, Jaile na busca de trabalho e desafios. Especializou-se em ótica e mais tarde voltaria a Fortaleza . Seus irmãos, Airton e Olegário, montaram o Depósito Gurgel, uma pequena loja no Parque Araxá,para venda de maerial de construção. O negocio deu tão certo que vários familiares, vindos de Acopiara, tiveram depósitos, como Nestor,Valmir, Nertan, Chiquinho de tio Eduardo. Ubaldina se formou em Administração, exerceu relevantes cargos públicos na prefeitura de Fortaleza e Reni concluiu o 2º.grau pedagógico e se dedicou as tarefas domésticas e á educação  primária.

As dificuldades de Pérpetua  sumiram e ela assumiu sua condição de líder da família Gurgel de Acopiara em Fortaleza, onde moravam suas irmãs, Dionisia, em Otávio Bonfim, praticamente dentro da Siqueira Gurgel, onde trabalhou seu marido,João de Souza, e Francisca (Tica)que morou na Floresta, tendo seu marido, Valdizar, sido chefe da estação ferroviária Eng.João Felipe, a principal do Ceará. Em torno dela, por seu espírito alegre, aberto, espontâneo, solidário se reuniram . A prematura morte de Rui,em 1972, abalou a todos, mas Perpetua superando a dor tocou a vida. Em 1975, deixou a Vila Gurgel, já transformada,  face o processo de declínio da Siqueira Gurgel, indo morar na Rua dos Campeões, em Dionisio Torres, com a filha Ubaldina, que lhe acompanharia   vida afora.

Seu neto, Helder Gurgel Ferreira Gomes, lembra o que ela lhe dizia “Nasci em Lages, me criei em  Afonso Pena e me casei em Acopiara  e não saí do lugar”.  O que não é novidade, para os acopiarenses, para nós, Acopiara é o centro do mundo. 

Nas comemorações dos seus 90 anos, em outubro de 1999, filhos e netos lh fizeram muitas homenagens. Num livreto de lembranças, “90 anos de Vida e Conquistas”, está contada com a singeleza da família sua trajetória de vida, com depoimentos de sua garra em criar, educar e fazer seus filhos pessoas de bem. Seus objetivos foram alcançados. Helder  remexeu os arquivos de Tia Perpétua com o auxilio da maezona, Reni, desvendado seu pequeno mundo de vivências marcadas pela ternura e simplicidade. Modinhas, emboladas, trovas,  pensamentos, advinhações,ditados populares, muito foi registrado com sua maneira simples de escrever a ata de sua vida. “A porta da vida é estreita.Iludem-se os que imaginam encontra-la larga”. Parabens tia. Sempre a admirei por sua retidão e por seu amor à família.

JB Serra e Gurgel (Acopiara), jornalista e escritor, sobrinho.

Descendentes de Perpétua Gurgel Valente e
Manoel Olegário Pinheiro (2° casamento dele)

14.F Perpétua Gurgel Valente (Acopiara) (08/10/1909- 03/07/2005) - Do lar (In memoriam)

C – Manoel Olegário Pinheiro (30/06/1894- 23/05/1943) – Comerciante (In memoriam)

87.N Rui Pinheiro Gurgel (Acopiara) (28/12/1935-27/09/1972) (In memoriam)

C Valdinar Alves Gurgel (15/05/1940) Do lar

334.B – Sandra Alves Gurgel (18/04/1963) Empresário

C – José Orlando Alves (12/03/1953) Empresário

600.Tr – Lussandra Alves Gurgel (04/03/1981) Economia Doméstica

601.Tr – José Orlando Alves dos Santos Filho (28/11/1990) Administrador e Especialista em Gestão Pública

335.B – Rui Pinheiro Gurgel Filho (Acopiara) (18/03/1964) Licenciado em Turismo, empregado do Hotel Marina Park na área de eventos

336.B – Cláudio Henrique Alves Gurgel (11/07/1965) Empresário

C – Ana Vitória Ximenes Freitas (05/11/1975-14/03/2001) (In memoriam)

602.Tr – Pedro Henrique Ximenes Gurgel (17/06/1998) Estudante

337.B - Ana Cristina Gurgel de Autran Nunes ((28/06/1965) Bancária e Contadora

C – Francisco José Autran Nunes (27/09/1955) Analista

603.Tr – Rui Gurgel de Autran Nunes (19/01/1989) Estudante

338.B – Mardônio Alves Gurgel (28/01/1969) Empresário

C – Maria Luciene Caetano Gurgel (15/06/1965) Empresária

604.Tr – Mardônio Alves Gurgel Filho (11/11/1992) Estudante

605.Tr – Ana Larissa Caetano Gurgel (17/06/1998) Estudante

88.N Aírton Pinheiro Gurgel (Acopiara) (17/05/1937) - Empresário

C Zélia Ferreira Gurgel (14/11/1939) Do lar

339.B – Adriana Gurgel de Castro (09/01/1963) Empresária

C – Alberto Almeida de Castro (02/11/1965) Empresário

565.Tr – Roberto Gurgel de Castro (06/03/1984) Empresário

606.Tr – Aírton Pinheiro Gurgel Neto ((06/11/1986) Empresário

607.Tr – Sarah Gurgel de Castro (10/04/1998) Estudante

340.B – Aírton Gurgel Júnior (20/01/1964) Empresário

C – Séfora de Alencar Araripe Gurgel (20/03/1965) Médica

608.Tr –Larissa de Alencar Araripe Gurgel (24/06/1995) Estudante

609.Tr – Aléssia de Alencar Araripe Gurgel (20/10/2002)

89.N Olegário Pinheiro Gurgel (Acopiara) (21/02/1939)- Empresário

C – Francisca Maria Leite Gurgel (04/10/1948) Dentista

341.B – Flávia Liduina Costa Gurgel (18/04/1975) Contadora da Cagece

342.B – Felipe Leite Gurgel (17/04/1977) Empresário

C – Flávia Liduina Lima da Costa

610 Tr – Pedro Vitor Costa Gurgel (14/04/2010)

343.B – Cássio Leite Gurgel ((27/08/1978) Empresário

344.B – Lívia Gurgel Novaes (04/03/1981) Estudante

C – Antônio Assunção Novaes Júnior(04/10/1997)

  1. Tr – André Gurgel Novaes (05/10/1999) Estudante
  2. Tr – Lucas Gurgel Novaes (01/03/2003)

345.B – Lia Leite Gurgel (26/06/1983) Estudante

90.N Ubaldina Pinheiro Gurgel (Acopiara) (20/10/1940) Funcionária Pública municipal

91.N Reni Pinheiro Ferreira Gomes (Acopiara) (06/10/1942) Professora

C Francisco Helder Alves Ferreira Gomes (01/10/1937) (17/04/2013) Empresário in memoria

346.B – Helder Gurgel Ferreira Gomes (10/06/1966) Sociólogo

347.B – Olegário Gurgel Ferreira Gomes (10/01/1968) Promotor Público e Jornalista

C - Liliane Coelho Ramalho Gurgel (10/11/1968) Empresária

348.B – Lidiana Gurgel Ferreira Gomes (01/06/1972) Médica, Ginecologista e Obstetra

C – Marcos Antônio Ferreira Araripe (26/11/1973) Auditor da Receita Federal

  1. Tr – Guilherme Gurgel Araripe (25/09/2004)

614 Tr – Samuel Gurgel Araripe (12/11/2007)