Quarta, 21 Novembro 2018
  • Projeto Fausto Nilo
    A nova Casa do Ceará para mais 50 anos
  • Livro
  • Homenageados
    A nova Casa do Ceará para mais 50 anos
A+ R A-

Apresentação

Antes, era a desolação do cerrado. Depois, a utopia de vultos históricos como o Marquês de Pombal, José Bonifácio e os inconfidentes mineiros e, tornando-a realidade, o projeto mudancista e profético do presidente Juscelino Kubitschek. A seguir, a miragem encoberta de pó vermelho dos redemoinhos da terra ferida pelas máquinas e, por fim, a imagem magnífica de curvas harmoniosas vestida de verde.

 

Eis a amada do gigante adormecido, que terá de trocar suas praias maravilhosas pela solidão do sertão inculto, onde se inspira o futuro do Brasil. É Brasília construída em três anos e meio por trabalhadores incansáveis que acorreram de todos os recantos do país e, dentre eles, os heroicos cearenses que nunca fugiram à luta e ao chamado da Pátria.

 

No livro Brasília, 50 Anos, editado em 2010, a Casa do Ceará deu nome a muitos operários anônimos que participaram da verdadeira epopeia da construção da Nova Capital, da interiorização do Brasil e da fixação dos rumos do desenvolvimento nacional.

 

Neste novo livro, continua a revelar nomes daqueles que continuaram na obra de consolidação da cidade, pois sua inauguração, em 1960, encerra apenas o ciclo do pontapé inicial. Na verdade, ainda continua a construção arquitetônica, urbanística e institucional de Brasília, paralelamente ao estabelecimento de uma civilização integradora do sentimento nacional.

 

Com a inauguração do aeroporto e das grandes rodovias Brasília-São Paulo, Rio-Brasília, Brasília-Fortaleza, Belém- Brasília, Brasília-Acre e muitas outras secundárias igualmente importantes, vai longe o tempo em que os pioneiros cearenses enfrentaram, amontoados em paus de arara, estradas vicinais que serpejavam os divisores de água, e atravessaram rios caudalosos a nado ou em barcaças precariíssimas, durante dias e mais dias de viagem, para chegarem à terra prometida.

 

O ciclo migratório ainda está longe de encerrar-se, visto que a capital federal continua sendo um ponto de atração de brasileiros de todos os estados, de todas as regiões, especialmente nordestinos e particularmente cearenses que sonham com melhores condições de vida, com mais fácil acesso à educação, à saúde, ao trabalho e à moradia. Gregário, sociável, animal político por excelência, na acepção aristotélica, o cearense chega aqui, como em qualquer outro lugar, trazendo consigo suas tradições gastronômicas, artísticas, poéticas, cívicas, suas datas festivas, o dia de São José, as noites de São João, sua religiosidade, sua música, seu talento, seu sotaque, seu repente, seu inconfundível bom humor, sua generosidade, sua hospitalidade, sua vocação para o trabalho construtivo, seu empreendedorismo, que são mantidos vivos nas feiras, nos lares, nos bares, nas praças, nos locais de trabalho, na Casa do Cantador, na Casa do Ceará e em muitos outros pontos de encontro.

 

É essa diversidade que emerge das biografias reunidas neste trabalho excelente e que revela o verdadeiro espírito da nação cearense.

 

Certamente esta obra não servirá apenas para dar notícias do que fizeram e do que fazem os cearenses de Brasília, mas será sobretudo fonte de inspiração da cearensidade dos que saem do solo amado, mas que não o esquecem nunca, que continuam fiéis à herança cultural de seus ancestrais.

 

Ao entregá-la ao público, reafirma-se que a Casa do Ceará é e continuará sendo a extensão e a presença do Ceará em Brasília.

 

Em nome desta venerável instituição, agradeço, pela qualidade do texto, a inestimável colaboração espontânea e voluntária de JB Serra e Gurgel, Wilson Ibiapina, Fernando César Mesquita, José Jezer de Oliveira, José Colombo de Souza Filho, Adirson Vasconcelos, Fernando Gurgel Filho, José Sampaio de Lacerda Júnior e Francisco Machado da Silva, além dos que optaram por subscrever suas biografias. Agradeço também a Hermínio Oliveira pelas fotos, ao empresário Ivens Dias Branco e ao grupo empresarial cearense que preside o patrocínio global deste projeto, assim como ao Ministério da Cultura que o aprovou de acordo com a Lei Rouanet.

 

Brasília, 15 de outubro de 2013.

50 anos de fundação da Casa do Ceará

Osmar Alves de Melo

Presidente da Casa do Ceará

APOIO

016121
Hoje
Ontem
Semana
Semana passada
Mes
Mes passado
Total
6
2
35
967
102
121
16121
O seu IP: 54.235.48.106
21-11-2018 13:46